segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Os 4 Quadrantes do condicionamento Operante

Muitas e muitas vezes num fórum de discussão acerca de comportamento de cães, ao qual não sei porque teimo em ir, fui quase insultado por estar a querer fazer-me passar por bonzinho dizendo que o castigo que uso é negativo... ou então que se é negativo é mau e logo não posso chamar ao treino que faço, treino positivo. É aqui que a Cláudia diria... oh amigo vá lá ver o que é um cão e quem foi o senhor Skinner e depois já falamos...hehehe, estou a brincar...
Vou tentar aqui deixar uma explicação, que não sei se será útil, mas espero sinceramente que sim, que resolva definitivamente as confusões e esclareça afinal de onde surgem os termos.
Para começar quero deixar bem claro que o treino de cães é daquelas coisas que parece envolto numa mística, tal como o treino de qualquer animal, que vem desde a infância, não sei se dos circos e dos animais que infelizmente por lá fazem todo o tipo de espectáculos. Esta mística deixa espaço ao surgimento de toda uma gíria, um dialecto, que parece ser apenas do conhecimento de alguns, dos entendidos do assunto.
Quando estava a tentar aprender acerca de treino de cães isto foi algo que me irritou solenemente, e ainda irrita por acaso, ficava sempre a boiar sem perceber que raio é que certos termos queriam dizer. Acho que ninguém beneficia em nada por se criar uma mística em volta de termos técnicos do treino, eles devem ser divulgados e explicados a toda a gente que demonstre interesse em saber o que eles querem dizer.
Dito isto vamos aos quadrantes do Condicionamento Operante... a base da mudança de comportamentos de todos os animais.
Quando temos um cão existem comportamentos que queremos aumentar de frequência e comportamentos que queremos diminuir de frequência ou extinguir, então podemos dizer que um reforço é tudo aquilo que acontecendo em conjunto com uma outra acção tem tendência a aumentar a probabilidade dessa acção acorrer novamente e um castigo é tudo aquilo que acontecendo em conjunto com uma outra acção tem tendência a diminuir a probabilidade dessa acção se repetir novamente.
Os reforços aumentam a probabilidade dos comportamentos e os castigos diminuem a probabilidade dos comportamentos.
Para actuar sobre a probabilidade usando reforços e castigos podemos adicionar ou remover qualquer coisa, este é o significado do positivo (adicionar) e o negativo (remover).
Podemos usar:
1- Reforço Positivo: Aumentar a probabilidade de um comportamento adicionando qualquer coisa. (Ex: Dar um pedaço de comida cada vez que se senta, dar a bola cada vez que vem ter connosco depois de o chamarmos.)

2- Reforço Negativo: Aumentar a probabilidade de um comportamento removendo qualquer coisa. (Ex: Estrangular o cão até ele se sentar e afrouxar a estranguladora assim que ele se senta, chamar o cão e dar um choque na coleira de choques até ele virar na nossa direcção)
3- Castigo Positivo: Diminuir a probabilidade de um comportamento adicionando qualquer coisa. (Ex: Dar um esticão na trela cada vez que o cão puxa no passeio, dar uma jornalada ou palmada no cão cada vez que ele faz as necessidades no local errado)
4- Castigo Negativo: Diminuir a probabilidade de um comportamento removendo qualquer coisa. (Ex: Ignorar o cão por nos saltar para cima de forma a chamar a nossa atenção até que ele ponha as quatro patas no chão, deixar o cão sozinho durante um período de tempo se ele nos mordiscar as mãos com demasiada força quando é cachorro)

Para melhor percepção do que explico aqui fica mais uma ilustração:



No Treino Positivo apenas usamos a parte verde da ilustração, o Reforço Positivo e Castigo Negativo, por uma questão de ética e respeito e porque está mais que estudado que os outros dois quadrantes só trazem coisas más consigo.

Bons treinos!

8 comentários:

Anónimo disse...

Esclarecedor! Obrigado =)
Sofia Pimenta

Blog da Mari! disse...

Obrigada!!
muito bom mesmo!

Lolita que Late disse...

adorei o post!
muito legal.
abracos,
dany.
http://lolitaquelate.blogspot.com/

Marta Afonso disse...

Muito bem explicado, excelente trabalho :)

Cristina Faria disse...

Boa tarde.
gostaria de expor a seguinte situação: temos um flatcoated retriever com 3 anos de que gostamos muito. É um cão dócil e calmo em casa, nunca estragou nada, dorme sozinho na cozinha,é super educado em termos de higiene.
NO ENTANTO, fica num estado de excitação incontrolável (não obedece a nenhuma ordem) e insuportável, até porque tem muita força (pesa 36 kg), quando:
- percebe que vai ter uma atividade de que gosta muito (ir passear , andar de carro, etc)- não pára de saltar, de ladrar; os primeiros minutos da viagem de carro são insuportáveis porque ladra continuamente; se não estamos atentos salta para os bancos da frente; etc, etc.
- recebemos visitas em casa – salta para cima das pessoas; impede os normais cumprimentos entre as pessoas;
- na rua, vê e/ou se cruza com alguém conhecido – puxa desalmadamente para chegar à pessoa em causa, salta para cima de pessoa, impede uma conversa normal entre as pessoas.
Para além disso, anda mal com a trela: puxa e até já causou uma queda a um de nós.
Qual o seu conselho?
Muito obrigado

José Dores disse...

Tenho três conselhos para si, em primeiro lugar leia mais sobre cães e a sua educação e verá que a informação para mudar o comportamento indesejado do seu cão está largamente disponível, se não conseguir contacte um treinador. Em segundo certifique-se que o seu cão tem o exercicio dia´rio que necessita, porque se assim não for nada vai resultar. Em terceiro ensine o seu cão a sentar para ter acesso a todas essas coisas que descreve, sair para a rua, entrar para o carro,alguém chegar o pá dele e dar-lhe festinhas, receber visitas, etc., caso ele não se mantenha sentado ou priva-o do acesso ao que ele quer ou retira-o da presença do que ele quer por cinco minutos e volta a tentar... em relação ao carro é mais complicado explicar através do pc.

Cristina Faria disse...

Muito obrigado pelos seus conselhos.
Parece-me que o problema dele é, como refere, sobretudo, o excesso de energia, ou seja, a falta de exercício, o que nem sempre é fácil de resolver quando se vive no centro de Lisboa e não se tem muita disponibilidade de tempo.
Usamos com frequência a tecnica do "sentar" (seguida de recompensa) mas, provavelmente porque não somos suficientemente persistentes, ao fim de alguns segundos deixa de funcionar.

obrigado

José Dores disse...

Este video da Claudia Estanislau demonstra da melhor maneira possivel o que tem de fazer...
http://youtu.be/ddaQeIzWHMw