domingo, 25 de janeiro de 2009

Os 10 mitos mais frequentes em treino de cães

O treino de cães está sempre a evoluir e um bom treinador é aquele que sabendo isto tenta manter-se actualizado e vai separando os métodos com bases cientificas dos que surgem de ideias preconcebidas.
Felizmente com o passar do tempo alguns mitos/erros/parvoices/burrices estão a desaparecer.
Nos primeiros dez lugares do ranking dos mitos de treino de cães estão:

1. Não vale a pena começar o treino até o cão ter seis meses.
http://www.youtube.com/watch?v=cRJQiF-Gfv8

2. Nunca jogue jogos de forças com o seu cão.
http://www.youtube.com/watch?v=GJkhMomLYNc
http://www.youtube.com/watch?v=QJJ6-EzCwnA

3. Usar sempre uma coleira estranguladora para treinar o cão.
http://www.youtube.com/watch?v=Saa13XvCdlI

4. Nunca usar comida para treinar o cão.
http://www.youtube.com/watch?v=WgvhXbfH_gM
http://www.youtube.com/watch?v=6pJ-acIqaFg
http://www.youtube.com/watch?v=o89dQr2iaJ8
http://www.youtube.com/watch?v=-xX1mmDUC9U

5. Se o seu cão não responde a uma ordem deite-o de costas no chão.
(Só é preciso que o cão tenha um motivo para realizar o comando)

6. Os cães aprendem que você é o lider da alcateia se lhe rosnar.
http://www.youtube.com/watch?v=QC6byHMx2iE
(aprendem assim)

7. Nunca deixe o seu cão estar em cima da cama ou do sofá.

8. Nunca dê ao cão comida de pessoa.

9. Não se consegue ensinar a um cão velho novos truques.
(Depois eu logo apresento a Aditi que tem 9 anos e há 7 que não trás uma peça de caça à mão do dono, mas isso vai mudar, para já, já senta, fica e traz à mão a bola e o churro)

10. Esfregue o focinho do cão nas suas necessidades se ele as fizer onde não deve.
http://www.youtube.com/watch?v=TfSxIKreo5M

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

O tão "conhecido" princípio de Premack

Enquanto lia textos acerca dos métodos de treino de cães cruzei-me com este principio. É curioso que ele sempre fez parte da minha vida, tal como da vida de quase todos nós e se calhar poucos sabemos o seu nome, eu pelo menos desconhecia. Já falei nele aqui quando falei da questão da hierarquia dos cães, onde devemos pedir sempre ao cão um comportamento antes de obter aquilo que ele quer. O principio de Premack foi observado e registado pelo senhor David Premack, e o que ele observou foi que um comportamento muito provável reforça um comportamento pouco provável. E isto essencialmente significa o que nos dizem quando somos crianças... se comeres a sopa toda podes comer o gelado como sobremesa.

Em termos de treino de cães os comportamentos muito prováveis serão o que o cão quer fazer e os comportamentos pouco prováveis serão o que nós queremos que ele faça. Então como é que podemos usar este principio em termos p´raticos no treino do nosso cão?!
Conseguir que um cão realize um comportamento que foi pedido por nós num sitio repleto de distracções é o desafio derradeiro do treino. Um comando fundamental no treino dos cães e por vezes uma situação de vida ou morte para o cão, se estiver a ir na direcç
ao de uma estrada movimentada, é a chamada, algo que pode fazer se souber aplicar este principio, e seja em que situação for o cão virá até si.
Começe por colocar o seu cão numa trela comprida. Atire uma bola ou pedaços de comida para a frente do cão deixe que ele se dirija a eles e os apanhe ou coma.
Depois de fazer isto umas quantas vezes atire e espere que o cão vá para apanhar, mas desta vez vai faze-lo parar com a trela antes de ele chegar ao objecto. Não pise a trela nem faça o cão parar de forma muito repentina...não queremos magoar o cão... faça com que a paragem seja lenta e gradual.
Assim o cão vai ficar a olhar para a bola qurendo chegar a ela. É aqui que vai chamar o seu cão, é normal que no inicio o cão o ignore, continue a chamar o cão pacientemente até que ele se volte para si e comece a ir na sua direcção.
Assim que ele faça isso congratule o cão e deixe que ele vá apanhar a bola ou as recompensas de comida.
Está a ensinar o cão que pode apanhar a bola mas tem de respeitar a chamada primeiro. Este é um excelente comando em situações extremas, e quando o seu cão vem em situações com muitas distracções é muito mais seguro para ele. Muitos cães perdem-se, como na caça, e noutras situações, ficam feridos, morrem porque não respondem à chamada.
Com o treino verá que não será necessário a trela comprida porque o seu cão responderá cada vez mais à chamada, uma vez que é reforçada com um comportamento muito provável que é brincar com a bola ou comer, algo que ele quer.

Bom treino!
http://br.youtube.com/watch?v=OcB1zttZmdY
(VEJA O VIDEO)

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Aumentar a duração do comportamento

Muitos comportamentos quando treinados necessitam de ter uma certa duração, e inicialmente isto não existe, então como é que conseguimos adicionar duração ao comportamento por reforço positivo?
Se estiver a treinar o "senta", inicialmente clicarei exactamente antes do cão tocar com o rabo no chão. O click termina o comportamento, então se ele volta a levantar-se tudo bem, não desespere. No inicio apenas o que queremos que perceba é o que quer dizer "senta".
Assim que esse comportamento é executado de forma segura, e feito sem você pedir nada, antes de fazermos perceber ao cão que só vale quando damos a ordem, é o momento ideal para conseguir a duração do comportamento.
Primeiro atrasa-se um segundo o click, até conseguir cinco segundos. Depois passamos para dez, quinze.
Nessa altura, retiro o clicker, ou seja substituo por outra coisa, como dar a ordem para o cão ir passear. Também é aconselhável variar os reforços, deixar a comida e ir substituindo por palavras de reforço ou festas, pelo menos em situações que o comportamento já está num nível sólido e bem compreendido. Nesta altura não chegamos ao fim, precisamos de generalizar e adicionar as distracções, ou seja, fazer estes exercicios em vários locais, com todo o tipo de distracções como cães, crianças, bicicletas, skates, etc. (sempre que achar necessário um reforço mais sólido para motivar o cão volte à comida) Depois o que não é necessário é o clicker uma vez que o cão já sabe qual é o comportamento que está a ser reforçado, não é preciso tanta precisão na marcação do comportamento.

Bom treino!

domingo, 11 de janeiro de 2009

O que é ser um bom lider para o cão?!

Segundo o Dr Ian Dunbar... a maior autoridade mundial em cães actualmente temos de repensar alguns conceitos em relação aos comportamentos dos cães e as suas origens. O modelo original do alfa dominante tem sido o modelo seguido por todos os treinadores e nasceu de pequenos estudos efectuados em alcateias de lobos nos anos quarenta. Foram os primeiros estudos efectuados em canideos. Foram relevantes para a altura, mas muitos dos achados já foram postos de lado pela maioria dos etólogos. Estes estudos apresentavam três problemas na sua realização. Foram estudos pequenos e por isso os pesquisadores concentraram-se apenas em alguns comportamentos dos lobos como a caça (foram estudados 1% da vida dos lobos). Os estudos observaram o que é conhecido como comportamentos ritualísticos e foram mal interpretados, foi daqui que surgiu o modelo da dominância. Embora já esteja obsoleto em termos científicos os treinadores em grande parte ainda se baseiam ou recorrem regularmente a este modelo para explicar determinados comportamentos de cães. Por exemplo o chamado "alpha rolls", que é o acto de um cão forçar um outro a deitar-se de costas e mostrar a sua zona genital em submissão. Os primeiros pesquisadores viram este comportamento e concluiram que seria o lobo dominante que forçava o subordinado a mostrar a sua inferioridade, e não é isso exactamente que se passa. Trata-se de facto um ritual de apaziguamento realizado pelo animal submisso de forma voluntária. Não é forçado. Um lobo só força outro lobo a deitar-se de barriga para cima se tiver a intenção de o matar. E sem qualquer pudor os pesquisadores extrapolaram os resultados para as interacções entre os lobos e cães, entre cães e outros cães e entre cães e pessoas baseados no que observaram. Infelizmente esta confusão ainda abunda entre as pessoas.
Então o que é verdade? A verdade é que os cães não são lobos. São duas espécies distintas e seria como realizar um estudo acerca das intercções das pessoas tendo como modelo os chimpazés e depois dizer que também se aplicaria às pessoas, somos descendentes de um antepassado comum mas diferentes.
O Dr Frank Beach realizou um estudo de 30 anos em cães. 19 desses anos foram dedicados aos comportamentos sociais das alcateias de cães (não de lobos...de cães).
Os resultados foram que:
os machos têm uma hierarquia mais rigída que as fêmeas;
as cadelas têm hierarquia mas é mais variável;
quando se misturam os sexos as regras misturam-se também, os machos tentam manter a estrutura hierárquica mas as fêmeas fazem alterações constantes;
os cachorros têm uma chamada "licença de cachorro" que lhes permite fazer qualquer coisa, e as fêmeas adultas são mais tolerantes aos cahorros que os machos;
a licença dos cachorros acaba aos 4 meses de idade, e a partir dai os cães que estão no meio da cadeia hierárquica torturam psicologicamente os cachorros até estes apresentarem os comportamentos de apaziguamento e assumam a sua posição no final da cadeia hierárquica, os cães do topo da cadeia hierárquica ignoram todo o processo;
não existe dominância fisica, tudo se obtém por assédio psicológico, e é tudo ritualizado;
uma pequena minoria de cães "alfa" atingem a sua posição pela força fisíca e são normalmente retirados dessa posição rapidamente, ninguém gosta de ditadores;
a maioria dos cães alfa são benevolentes, confiantes na sua posição, não se impõem para provar nada, até porque isso seria mostrar que era inseguro, os cães no meio da cadeia que querem subir na cadeia hierárquica é que demonstram estes comportamentos;
os cães no final da cadeia não se impõem, porque sabem que perderiam, aceitam a sua posição. Ser alfa não significa dominância, significa em controlo dos recursos. Muitos cães alfa são demasiado pequenos para lá chegar pela força. No entanto ganharam o direito para controlar os recursos valiosos. Cada cão decide que recursos são importantes, e por isso um cão alfa pode ceder uma cama boa porque simplesmente não quer saber. Então o que é que isto significa?
Que usar força fisíca num cão reduz a nossa posição na cadeia hierárquica, porque só os que estão no meio da cadeia é que sentem esta necessidade.
Para sermos o alfa ou lider temos de controlar os recursos. E isto não significa impedir o cão de dormir na cama, não o deixar passar nas portas antes de nós, etc. Significa que o acesso aos recursos está dependente do comportamento. Se o cão quer o prato da comida...boa...ele que se sente primeiro. O cão quer ir lá fora à rua? Ele que se sente primeiro. Ele quer dar as boas vindas a alguém? Senta primeiro. Quer brincar ou soltar-se? Senta primeiro. Ou qualquer outra ordem para além de senta. Se for consistente neste controlo das coisas que o cão quer, através da exigência de um comportamento, você é o alfa por definição.
Treine o seu cão, este é o equivalente do termino da licença de cachorro em pessoas. Qualquer pessoa pode treinar qualquer cão, uma criança, um idoso, um deficiente motor, etc., mas muito poucas pessoas têm capacidade para ser fisicamente dominante.
A sua função é ser o lider do seu cão, não dono, patrão, ou ditador lá de casa. Ser lider é uma grande responsabilidade. Deverá aceder a todas as necessidades do seu cão, a água, comida, cuidados veterinários, segurança, etc. Se falhar nessas competências ele tentará saciar as necessidades sozinho.
O Dr Ray Coppinger, uma entidade em treino de cães reconhecido em todo o mundo disse em relação ao modelo da dominância: "não posso imaginar muitas situações de aprendizagem onde quero que os meus cães aprendam respondendo ao medo e com falta de motivação. Eu nunca quis que os meus cães estivessem a pensar em hierarquias. Assim que eles comecem a fazê-lo vão passar o tempo a arranjar uma maneira de subir na hierarquia".
Isto resume tudo, não acha?
PORTANTO PAREM DE ENSINAR OS CÃES DESTA MANEIRA (VIDEO)...SÓ VÃO SER MORDIDOS PORQUE TÃO A MOSTRAR QUE SÃO INSEGUROS!

video

Treino da Policia de Baltimore!

sábado, 10 de janeiro de 2009

Aumento do Critério!

A terceira parte do sucesso do treino com clicker é o aumento do critério. Quando queremos que o cão faça algo como dar uma voltinha podemos dividir este movimento em virar ligeiramente a cabeça para a direita, virar a cabeça e dar um passo para o lado, virar metade do corpo, virar o corpo para o lado oposto ao seu e dar uma volta completa. Quando se trata de uma vénia, podemos dividir em olhar para o chão, baixar o pescoço, flectir um pouco as patas da frente, flectir mais as patas da frente, tocar com os cotovelos no chão e temos a vénia. Quando vamos iniciar uma sessão de treino devemos fazer este exercicio mental, de modo a termos um mapa para chegar ao comportamento final. Devemos ser honestos e realistas quando iniciamos, pedindo apenas algo atingivel para o cão e ter paciência porque vai ser lento no inicio, uma vez que nãop tem ainda a certeza se será aquilo que quer que ele faça. Quando vemos que o cão já nos oferece o comportamento de acordo com o critério que estabelecemos de forma regular e segura aumentamos o critério. Se o aumento do critério for feito numa outra sessão devemos clicar uns quantos comportamentos com o mesmo critério da sessão anterior de forma a relembrar ao cão o que queremos. Bom trabalho.